10 fatos aleatórios sobre a fotógrafa

    Recentemente, venho tentando ser mais transparente nas redes sociais. Mostrar mais quem é a pessoa que fotografa atrás das câmeras. Decidi espalhar alguns detalhes para vocês e compartilhar 10 coisas que as pessoas provavelmente não sabem sobre mim.

1. Eu sou a derradeira filha em uma família de quatro irmãos. Tenho três irmãos homens muito inteligentes que me ensinaram muito sobre coisas da vida: história, engenharia, resiliência, Star Wars, Vikings...

 

2. Cresci numa fazenda, próxima a Brasília. Quando criança meus finais de semana envolviam subir em árvores, andar de cavalo com meu pai e me aventurar pela horta pra buscar coisas para mãe. As férias sempre eram na praia! Hoje, o meu lado “meio do mato" que ama entrar em uma floresta veio daí...

 

3. Eu morei na Australia por pouco mais de um ano para estudar Arquitetura, Design e Urbanismo em 2014. Nesse período explorei países e cidades da Asia e Oceania, onde surgiu a ideia de criar a AKALA, e fotografar mais seriamente. Não poderia estar mais feliz com essa decisão hoje, que se tornou uma experiência única explorar o mundo e aprender sobre arquitetura e fotografia enquanto estava na Austrália.

 

4. Quando eu tinha 14 anos decidi que queria ter um escritório de arquitetura no futuro, parecia uma ideia espetacular, embora minha mãe não concordasse muito com o lado empresarial. haha Entretanto, meu encantamento por arte, ângulos, arquitetura só aumentava e entrei na Universidade de Brasília pra fazer Arquitetura e Urbanismo. Me levou um pouco ao estresse a louca demanda, mas o conhecimento holístico que tenho hoje e o olhar geométrico, se deve a essa experiência.

 

5. Comecei a AKALA com 24 anos na Australia, já fotografava e me inscrevi em um curso de empreendedorismo onde criei os catálogos pra que isso se tornasse comercial. Tinha dificuldades de falar em público, ainda mais em inglês, mas mostrei o projeto pro curso e a ideia pareceu promissora. Investi mais nisso, fiz um curso online de Harvard que explicava a parte técnica da fotografia.

 

6. Tenho dificuldades pra dormir. Uma mente criativa nunca para, certo? Muitas noites passo pensando em soluções de projeto de Arquitetura, como eu poderia editar uma foto, quais lugares eu gostaria de fotografar, soluções para o site que criei… É uma infinidade de pensamentos que levo pro travesseiro. Recentemente, adotei a técnica do caderno na cabeceira: quando estou pensando demais anoto tudo que acho relevante, pra poder descansar sem o receio de esquecer aquela idéia!

 

7. Sou a maluca das tabelas! Sim, se você me perguntar qual métrica uso pra precificar os quadros, vou consultar a tabela com mais de 15 colunas que criei com custos de fornecedor, impressão, molduras e ajustes. Se existe uma coisa que me distancia do flow habitual de um arquétipo de artista, é a minha obsessão por tabelas, catálogos organizados e listas.

 

8.Minha rotina matinal inclui meditar e ler, qualquer coisa além disso se tornou não essencial. Me ajuda a seguir o ritmo do dia de uma forma mais leve e artística.

 

Criatividade não é um dom, é um hábito.
E meditar e ler ajudam uma mente a se manter criativa.

 

9. Sempre estou estudando. Quando fui pra Australia fazer a faculdade peguei as matérias mais avançadas possíveis, fiz o trabalho de conclusão de curso lá e quando voltei fiz aqui no Brasil também. Foi um desafio, imagine dois anos naquele ritmo de TCC, sendo um inglês e em seguida outro em português completamente diferentes… mas consegui! A matéria mais tranquila e fora da casinha na University of Sydney foi Psicologia das Cores, que hoje me ajuda muito na fotografia também. Atualmente estou fazendo pós graduação em arquitetura sustentável com foco em healthy buildings.

 

10. Agora, em contraste com o último fato, minha maior paixão é viajar. Percorrer o mundo, deixar a mente fluir, explorar lugares. Eu sempre estou esperando pela próxima viagem! Todos os álbuns que fiz até 2019 eram de viagens e me cobravam muito um de Brasília. O próximo a ser apresentado é da última viagem a Patagônia, que foi feita em uma campervan, acampando pelas montanhas e fazendo de trilhas de 30km! Uma aventura surpreendente que vou mostrar pra vocês.

 

Arquiteta e Fotógrafa

Marina Eluan